E-SIC (Serviço Eletrônico de Informação ao Cidadão)

A Cidade - Notícias

quarta-feira, 5 de abril de 2017

MUNICÍPIOS DA REGIÃO SE ÚNEM EM BUSCA DE DESTINAÇÃO CORRETA DE RESÍDUOS SÓLIDOS

MUNICÍPIOS DA REGIÃO SE ÚNEM EM BUSCA DE DESTINAÇÃO CORRETA DE RESÍDUOS SÓLIDOS
AMOG tem realizado reuniões e discussões entre as cidades para resolver a questão
 
Os municípios de todo o Brasil tem enfrentado enorme dificuldade com a gestão e destinação correta dos resíduos sólidos. No região da AMOG não é diferente. Por isso, desde o início do ano, a Associação dos Municípios da Microrregião da Baixa Mogiana tem buscado alternativas e possíveis soluções para esta situação. Apenas Guaxupé e Muzambinho elaboraram o Plano Municipal de Resíduos Sólidos.
 
Com o objetivo de interação e fortalecimento das cidades pertencentes a região da AMOG, o presidente da Associação dos Municípios, Jarbinhas, reuniu com diretores, secretários e servidores das prefeituras da região ligados ao Meio Ambiente para tratar deste importante assunto que contou também com a participação de advogados e Polícia Militar do Meio Ambiente.
 
“Atividades desta natureza ajudam a nortear os Municípios para que todos saibam onde de fato estão e onde podemos chegar juntos para a resolução desse problema atual, cada dia mais preocupante, já que cada vez mais o ser humano consome e gera lixo. É dever de cada um de nós contribuirmos para um planeta mais saudável”, disse o presidente da AMOG, Jarbinhas, que também é prefeito de Guaxupé.
 
Dr. Francisco Fonseca, ex-diretor de resíduos sólidos da FEAM – Fundação Estadual do Meio Ambiente falou da importância de um consórcio intermunicipal para a gestão e destinação correta dos resíduos. Segundo ele as cidades devem se unir para criar um aterro sanitário que possa atender vários municípios: “É a única forma de se conseguir uma obra desse porte. Pois os custos são altos e uma cidade, sozinha, não tem condições financeiras de arcar com isso. Quando junta várias cidades, no maior número possível, a questão fica bem mais fácil de ser solucionada”, explicou.
 
Já o professor universitário e doutorando em Meio Ambiente, Aloísio Bozzini, fez uma dinâmica em grupo, onde cada representante dos 10 municípios participantes da reunião expuseram seus principais desafios quanto à gestão de resíduos: “Aqui estamos para trocar experiências, conhecer a legislação ambiental e buscar a melhor forma de conseguir trabalhar o destino dos resíduos sólidos, ou melhor, dos rejeitos. Quantas toneladas de lixo geramos diariamente? Imagina o impacto que isso gera ao meio ambiente quando descartado de forma errada?”, refletiu o professor.
 
Outras reuniões acontecerão nos próximos meses. A expectativa é que a questão em pauta seja solucionada o mais breve possível entre as cidades.