E-SIC (Serviço Eletrônico de Informação ao Cidadão)

A Cidade - Notícias

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

PREFEITURA DEVERÁ FAZER NOVA CAPTAÇÃO DE ÁGUA NA MINA DO HORTO FLORESTAL

PREFEITURA DEVERÁ FAZER NOVA CAPTAÇÃO DE ÁGUA NA MINA DO HORTO FLORESTAL
 
Populares que utilizam a mina de água existente no Horto Florestal em Guaxupé tem percebido que nos últimos tempos o volume de água diminuiu consideravelmente. Após análise, a Prefeitura identificou que uma das “veias” que alimentam a bica está secando. Diante da situação, o Município já entrou com o pedido junto ao Estado para que seja liberada outra perfuração para uma nova captação. O mesmo processo deverá acontecer com as minas da Escola CAIC e outra existente no bairro Catetos.
 
Desde o segundo semestre de 2018 o Governo Municipal vem trabalhando para a normalização no fornecimento de água mineral no Horto Florestal. No mês de setembro a divisão de Meio Ambiente deu entrada na Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD) com um pedido de limpeza dos pontos de perfuração. Com a autorização em mãos, a Prefeitura constatou que o motivo da diminuição do volume de água na mina não era decorrente de tubulação entupida, já que a bica estava em perfeito estado de preservação.
 
Segundo a diretora de Meio Ambiente, Rafaela Soares, o que ficou constatado é que a veia d’água que abastece a mina está deficitária, o que consequentemente apresentou uma perda de volume considerável nos últimos anos.
 
“Será necessária a identificação de novas veias e a realização de novas perfurações para que haja um aumento na vazão da água que chega ao ponto de coleta e, para isso, precisamos obter a outorga de direito de uso da água junto ao Estado”, explicou a diretora.
 
Ainda no ano passado, no mês de novembro, a Prefeitura protocolou um pedido de perfuração com a abertura do processo 26520/2018, disponível para consulta no Sistema Integrado de Informação Ambiental da SEMAD, porém, a mesma autorização até a presente data ainda não foi liberada.
 
“Qualquer intervenção em recurso hídrico necessita de autorização do Estado, caso contrário caracteriza crime ambiental. Embora seja um processo burocrático e bastante demorado, pedido um pouco de compreensão da população que utiliza estas minas para buscar água mineral. O problema já foi detectado, relatado e agora aguardamos a autorização do Estado para que possamos fazer nova perfuração e assim pegar uma veia que tenha quantidade de água suficiente para o abastecimento", finalizou Rafaela.